sábado, 28 de fevereiro de 2015

"O Coração Revelador", Edgar Allan Poe

Bom dia!

Como ontem escrevi sobre o mestre do conto de terror, H. P. Lovecraft, hoje decidi escrever sobre outro mestre que o influenciou e marcou a vida de muitos outros grandes nomes da literatura: o inconfundível Edgar Allan Poe.


Poe é considerado o pai do gênero literário conto e foi ele quem desenvolveu e popularizou a literatura fantástica, policial e de ficção científica.
Edgar Allan Poe nasceu em 19 de janeiro de 1809, em Boston nos Estados Unidos, e morreu aos 40 anos, em 7 de outubro de 1849. Até hoje não se sabe a causa da morte de Poe, o que leva a diversas especulações fantásticas e sombrias.
Poe foi um dos primeiros escritores a fazer da literatura sua única atividade profissional, por isso levou uma vida modesta e passou por dificuldades financeiras. Na verdade, Poe ficou mais famoso na Europa do que em sua terra natal, os Estados Unidos. Sua grande popularidade nas terras do Velho Mundo se deu principalmente pelas traduções de sua obra para o francês feitas pelo escritor e poeta Charles Baudelaire. No Brasil, algumas de suas obras foram traduzidas por Machado de Assis.


O Coração Revelador, ou The Tell-Tale Heart no original, é um conto curtinho de Poe, publicado pela primeira vez em 1843. Nele, o narrador anônimo nega estar louco, pelo contrário, ele diz que seus sentidos estão mais apurados. Ele, então, conta ao leitor a sua necessidade de matar o velho com quem mora, pois um de seus olhos, um olho pálido, azul, que acompanha os seus movimentos, o atormenta. Ele visita o quarto do velho todos os dias à meia-noite, porém por sete dias ele recuou, pois o olho atormentador estava fechado. No oitavo dia, contudo, o olho pálido estava aberto, dando-o coragem pra cometer o assassinato. Durante todo o processo, o narrador escuta um barulho incessante, que vai ficando mais alto, mais alto, até parar por completo: o coração do velho.
Não vou contar para vocês o final do conto, pois vale a pena a leitura! Para os que gostam de ler em inglês, eu aconselharia a leitura do texto no original.  A linguagem não é muito complicada, o que não traz muitas dificuldades. Vale a pena o desafio!


Aproveitem este sábado para adentrar o universo macabro e sombrio de Edgar Allan Poe. Boas leituras!

Fernanda 

Nenhum comentário:

Postar um comentário