terça-feira, 7 de abril de 2015

"O Castelo Encantado", Edith Nesbit

Olá, pessoal!

Hoje vou escrever para vocês sobre um livro que terminei de ler ontem à noite e cuja magia ainda está fresca em minha memória. Eu sou uma grande admiradora da literatura infanto-juvenil e, sempre que posso, gosto de ler títulos deste gênero literário, muitas vezes desvalorizado por estudiosos da área.

A literatura para jovens e crianças é mágica, cativante e é o que nos atrai à leitura em nossa infância. Todos que gostam de ler hoje em dia devem se lembrar de um livro lido quando criança e que simplesmente marcou sua vida, não é? Eu, particularmente, posso citar vários: Pollyana, de Eleanor H. Porter (e que tenho muita vontade em reler), A Espiã, de Louise Fitzhugh (sobre o qual já escrevi aqui no blog) e, claro, o divisor de águas, Harry Potter, que é uma das grandes razões pela qual estudo Literatura hoje em dia. Viu como uma leitura aparentemente inofensiva pode mudar o rumo de vida de muitas pessoas?

É por isso que dou tanto valor à literatura infanto-juvenil. Algumas semanas atrás, dando uma olhada na minha prateleira de livros, me deparei com O Castelo Encantado, de Edith Nesbit, um livro que já havia lido quando criança, mas do qual lembrava praticamente nada. A nossa memória humana é mesmo odiável, não é? Eu gostaria de poder lembrar de tudo o que já li. Seria maravilhoso, não?

Pois bem, como não é este o caso, decidi reler o livro e, não para minha surpresa porque já esperava esse resultado, adorei a história e embarquei nas aventuras de Gerald, Jimmy, Kathleen e Mabel como se eu fosse um deles. Eu me identifiquei muito com estes personagens, pois, quando criança, o que eu mais queria era encontrar um anel mágico (ou qualquer outro artefato com poderes sobrenaturais!). Eu não tive a mesma sorte que estas quatro crianças, mas, como diria Pollyana, vamos olhar para o lado positivo de tudo isso: se eu não posso ter um anel dos desejos, eu posso, ao menos, ler sobre suas aventuras!

O Castelo Encantado foi escrito pela inglesa Edith Nesbit em 1907 e encanta tanto os seus leitores de
início do século XX como os do início do nosso século. Ao saberem que sua prima está com sarampo e que, por isso, não vão poder voltar para casa nas férias, os irmãos Kathleen, Jimmy e Gerald ficam muito tristes. Como solução, seus pais decidem mandar Jimmy e Gerald (que estudavam em uma escola só para meninos) para ficar com sua irmã Kath (que estudava em uma escola só para meninas) em sua escola, já que ela estaria vazia durante o verão e a governanta francesa Mademoiselle poderia cuidar deles.

Ao explorar a região, os irmãos descobrem uma enorme mansão no terreno vizinho, linda e misteriosa como um castelo encantado! Tudo ali cheira a magia, até que eles encontram uma princesa dormindo em um banco de pedra ao centro de um labirinto de grama. É a princesa adormecida que desperta com o beijo de um dos garotos. Mentira! As crianças logo descobrem que não se trata de uma princesa de verdade e, sim, de Mabel, a sobrinha da governanta. No entanto, o anel que Mabel brincava ser mágico era, de fato, mágico e faz Mabel desaparecer! Como trazer a garota de volta à visibilidade para que ela retorne à sua tia?

Ilustração do livro
Essa é apenas uma das muitas aventuras que o anel mágico trará para as quatro crianças que, enquanto acreditarem, estarão cercadas por eventos e criaturas encantadas.

Edith Nesbit nasceu em 15 de agosto de 1858 e morreu em 4 de maio de 1924 aos 65 anos. Edith começou a publicar seus poemas com 15 anos de idade, mas só começou a escrever para crianças aos 40 anos, por cujo trabalho ficou nacionalmente, e mais tarde mundialmente, conhecida. Nesbit foi a pioneira em criar aventuras mágicas a partir de situações corriqueiras e reais do dia-a-dia, levando a magia aos olhos de quem lê. Esse seu estilo foi muito imitado por outros autores infanto-juvenis.
Edith Nesbit



Além de O Castelo Encantado, Edith publicou outras 39 histórias infantis, entre elas A história dos caçadores de tesouro (1898), Cinco crianças e um segredo (1902), A fênix e o tapete (1904), A história do amuleto (1906) e A cidade mágica (1910).


Embarquem nas aventuras encantadoras de Edith Nesbit e tenham uma ótima terça-feira!

Fernanda

15 comentários:

  1. Oi Fernanda,
    Eu lia muito quando criança mas era muito obrigada a fazer isso, não tenho boas lembranças. Ainda mais quando era para escola.
    Os únicos que gostei, na época, foi Iracema e Escaravelho do Diabo, que por sinal vai virar filme.
    Gostei muito da sua resenha, não conhecia esse livro e nem a autora, vou pesquisar mais sobre ela, gosto muito de ler livros assim, de aventura.
    Princesa adormecida? Anel que faz desaparecer? Acho que conheço histórias assim. hihihi

    Bjocas

    Dani Cabral (A Estante do Manuel)

    ResponderExcluir
  2. Ai, eu adoro esse tipo de história, é ótimo pra desestressar ♥

    Bjoos,
    Duane.

    http://imperfeitaas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi fernanda! Ainda nao conhecia O castelo (...), mas parece-me uma leitura muito interessante, tão repleta de magia; magnífica! Como nao faz muito tempo que sai da minha infância, ainda lembro da maioria das coisas que li. Mas a falha de memória geralmente aparece quando tento lembrar de cada personagem. Isso é realmente chato. Espero ter a oportunidade (e o tempo necessário) para ler este e também reler alguns livros que li na infância. Gostei da tua resenha! Também nao conhecia a autora, mas me interessei por seus outros titulos também. Beijos,
    www.entreleitores.com

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro... Lia muito quando criança, mas ao contrário de você não lembro de nenhum deles hahaha
    Sempre quis ter um item mágico ou dominar algum tipo de poder, acho que faz parte de todos nós rsrsrs
    Comecei a ler Harry Potter depois de velha, mas é encantador mesmo assim *-*

    Beijos ;*
    Proseando com uma BibliophileFacebook

    ResponderExcluir
  5. Oláá!

    Quando criança eu li muito gibi, mas não liaesse tipo de livro.
    O poder dos livros infantis e jovens são incriveis né?
    Gostei de conhecer esse livro e acho que leria com certeza!

    Tenho vontade de ler Pollyana!
    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Fernanda! Gostei muito de ler o seu post, e gostei mais ainda do livro resenhado. Literatura infantojuvenil é essencial para não perdermos a magia da infância e nos transformar em crianças mais uma vez. Com toda a certeza irei comprar e pesquisar sobre os livroa da autora. Beijos!
    http://cafeliterari-o.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, também adoro literatura infanto juvenil. Não conhecia o livro o castelo encantado, mas me peguei pensando na possibilidade de ter um anel com superpoderes, queria muito um que me teletransportasse para outro lugar!
    Beijos
    Porão da Liesel

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Olá Fernanda,

    Quando eu era criança lia muitos livros neste estilo e também gostaria de lembrar de todos, infelizmente, somente alguns ficaram marcados, como os da Coleção Vaga-Lume. Como ainda amo livro infantis, e esse parece ser de um estilo que gosto muito, vou colocar na lista de leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, Fernanda!
    Como você disse, e tenho que concordar, a memória humana é realmente odiável. Eu quase não lembro o nome dos livros que li quando era pequena, não sei se isso aconteceu pelo fato de ler muitos livros ou por não ter tido atenção mesmo. O único que ainda lembro, é um que li quando já era mais grandinha e se chama "A espada do Samurai" e eu achei incrível. Agora deu até vontade de ler de novo xD
    Não conhecia "O Castelo Encantado" mas adorei o enredo. Vai pra lista!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Fernanda, tudo bem?
    Eu também amo literatura infanto-juvenil, sempre que posso me permito ler um livro do gênero. Eu li O Castelo Encantado faz muito tempo, e agora fiquei com vontade de seguir sua dica e relê-lo!

    Beijos ♥
    Livros e blablablá

    ResponderExcluir
  12. Hey, tudo bem?

    Realmente, literatura infanto-juvenil é incrível; é a forma como a maioria das pessoas são inseridas nesse vício que é a leitura. Não conhecia O Castelo Encantado, mas adorei a forma como a história é cercada de mágica por causa do anel.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  13. Impossível não lembrar das histórias da Disney onde ouvíamos o cd e acompanhávamos as histórias pelo livro. Além dos gibis que marcaram minha infância como o da Turma da Mônica.
    Não conhecia Castelo Encantando e achei a premissa muito legal. Depois vou ver se encontro alguns livros dela para comprar e ler pros meus filhos.

    Beijinhos!
    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá tudo bem?
    Eu também ador livros infanto- juvenis, pois sempre são cheios de magia e aprendizado. Não conhecia esse livro, mas fiquei super curiosa para saber o desfecho dessa estória, saber como as crianças lidaram com o anel mágico. Bjus!!!
    http://lendoaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir