sexta-feira, 10 de abril de 2015

"História das Terras e Lugares Lendários", Umberto Eco - Parte 1

Bom dia, pessoal!


Hoje escrevo para vocês sobre um livro que me encantou desde a primeira vez em que o vi nas prateleiras das livrarias, tanto pela sua capa (que mostra um lugar encantador que eu adoraria visitar - nem que fosse em sonhos!), como pelo seu título e pelo seu autor, Umberto Eco.

Umberto Eco é um grande nome da literatura contemporânea e sinal de qualidade de texto e muito refinamento. Eu tenho muito respeito por Eco, porque ele simplesmente sabe tudo sobre tudo! Realmente um gênio de nossos tempos.

Nascido em Alexandria, na Itália, em 5 de janeiro de 1932, Eco tem hoje 83 anos e espera viver até os 100 (eu, pessoalmente, espero que ele viva muito mais para nos agraciar com suas palavras pelo máximo possível de tempo!). Ele é filósofo, semiólogo, linguistia, crítico literário, bibliófilo e romancista. Em outras palavras, um verdadeiro Leonardo da Vinci de nossos tempos (só falta pintar!).

Umberto Eco
 Ele já deu aulas em diversas universidades renomadas mundialmente, como a Universidade de Yale, Columbia, Harvard, Universidade de Toronto e Universidade de Bolonha. Ele escreve sobre os mais diversos assuntos, desde símbolos e suas interpretações a romances consagrados, como O nome da rosa (1980) e O pêndulo de Foucault (1988), dos quais só li o último e me apaixonei pela erudição de Eco.

Este livro que trago para vocês, História das Terras e Lugares Lendários, publicado em 2013, nos faz viajar pelos lugares míticos que povoam nossas literaturas e, mais ainda, o imaginário de todos nós. Lugares como Camelot, Atlântida, Eldorado e a ilha de Salomão, que podem ou não terem existido na realidade, mas que com certeza existem em nossa imaginação.

A cada capítulo Eco nos traz informações e ilustrações riquíssimas sobre algum desses lugares e o primeiro capítulo, A terra plana e os antípodas, é dedicado às maneiras como as civilizações do passado viam a nossa Terra. E, surpreendentemente e diferente do que muita gente imagina, a Terra já era considerada redonda há muito tempo, mesmo antes das viagens de Cristóvão Colombo! O mundo era visto em formato de T, com a Ásia ao topo, cortado pelo Mar Negro à esquerda e o Nilo à direita, mais abaixo a Europa do lado esquerdo e a África do lado direito, separados pelo Mar Mediterrâneo, isto no século XI. Tudo bem que eles não tinham conhecimento das Américas ou da Oceania, mas já tinham a noção de que a Terra era redonda e que, portanto, não havia um precipício que assinalava o seu fim. É claro que nem todos concordavam com esta hipótese. Esse foi, realmente, um tema polêmico por muitos séculos a seguir.

Mapa do mundo em formato de T
 Por mais que desconhecessem os territórios do Novo Mundo, desde alguns séculos antes de Cristo já se pensava na hipótese de que havia outros povos habitando outras regiões da Terra, ainda desconhecidas por eles. O problema é que essas pessoas habitavam o outro lado do planeta, portanto eles não deveriam ser descendentes de Adão e deveriam andar de cabeça para baixo e pés para cima, os antípodas!
 Esse grande mistério quanto ao que havia e o que habitaria as terras do Sul foi um dos grandes motivadores das explorações marinhas.


Além das informações e ilustrações, Eco traz trechos de livros da época que discutem os temas abordados no capítulo. Por exemplo, o trecho sobre os antípodas retirado de Astronomica, de Marco Manílio, escrito entre I a.C. e I d.C.:


"Embaixo delas [as constelações austrais] jaz uma outra parte de mundo, inatingível para nós. E estirpes desconhecidas de homens e reinos nunca atravessados que recebem a luz do nosso mesmo Sol e sombras opostas às nossas, com astros que se põem à esquerda e nascem à direita, num céu às avessas do nosso".

Os antípodas

É incrível refletir sobre como as pessoas pensavam sobre assuntos tão triviais para nós nos dias de hoje, mas que em seu tempo deviam deixar muita gente com dor de cabeça, como o formato da Terra, a estrutura do mapa múndi e as características dos povos que habitam os quatro cantos do mundo. hoje, podemos pegar um avião e em algumas horas estar, nós mesmos, em carne e osso, do outro lado do mundo! Imagina o que Marco Manílio teria pensado disso!

Estou muito curiosa para ler sobre os demais lugares lendários que Eco escolheu para compor este livro maravilhoso. Em breve, trago mais informações para vocês sobre os próximos capítulos.

Uma ótima sexta-feira a todos!

Fernanda

9 comentários:

  1. Muito interessante! Obrigada! :)

    ResponderExcluir
  2. Oi xará!! Adorei o "só faltar pintar" haha Eu já li O Nome da Rosa, mas pra te dizer a verdade nem lembro mais do que se trata. Eu não sei porque, achava que esse autor já tinha morrido! Que legal que ele ainda tá super vivo :D Eu nunca vi essa edição por aqui, já vi outras capas que não chamam tanta atenção! Eu até acho que tem uma aqui em casa...Eu acho que Camelot existiu sim, tem que ter existiiiidooo, eu gosto tanto dessa lenda, comecei a pesquisar depois que eu li o livro da Meg Cabot haha Adorei saber mais sobre o livro, eu achei que ele tinha uma estória, e não que fosse um livro mais informativo e tal. Beijos! http://www.trocandodisco.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Caramba, imagino o trabalhao do capista desse livro. Os tons de cores foram muito geniais. Chama a atenção apenas pela capa. Não gosto de livros assim... eu prefiro ficção - científica. Ótimo post. Não conhecia o trabalho desse autor. Vou googlear... hahaha. Até mais.

    Www.sonhosemtinta.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernanda! Sou formada em Publicidade, e atualmente estou na minha segunda graduação em Letras. Bom, conheci seu blog através do grupo no facebook de estudante de Letras e vim conferir.. Muito legal abrir seu blog e vê logo a resenha de um livro do Umberto Eco, afinal vi muitoooo sobre ela na faculdade de Publicidade, nas aulas de teoria da comunicação. Adorei seu blog, e já linkei ele, lá minha lista de links lá no meu blog, assim posso sempre te acompanhar.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Acredita que eu sou formada em Publicidade e Propaganda e depois migrei para Letras também? Terminei agora a licenciatura e finalmente me achei! Tenho certeza que você vai gostar do curso também! Eu, pessoalmente, sou muito mais Letras do que PP =P
      Que bom que esteja gostando do blog, seja bem-vinda!

      Beijos

      Excluir
  5. Nunca li nada do Umberto Eco, mas morro de vontade.
    Esse parece ser o livro ideal pra começar, adoro esses mundos do universo literario e a visão dele desses lugares deve ser incrivel

    Abraços
    http://des-construindooverbo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Nossa que demais Fernanda, fiquei me imaginado viajando por esses lugares fantásticos. Não conhecia essa obra do autor e achei super interessante. Vou continuar acompanhando seus relatos.
    Beijos
    Porão da Liesel

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro ver as suas dicas de leitura, sempre tem livros diferentes dos que estou acostumada e no momento, estou adorando sair da minha zona de conforto, e esse livro é lindo, que trabalho maravilhoso do ilustrador.

    Beijos
    http://entaotudoaconteceu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Fernanda, que incrível esse livro! Eu não tinha conhecimento sobre esse mapa com o mundo em forma de T e fico admirada de como o ser humano, mesmo sem a tecnologia avançada tem uma inteligencia formidável. Fiquei curiosa para saber mais e vou aguardar suas postagens!

    Beijinhos!
    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir