domingo, 10 de setembro de 2017

"O Último Reino", Bernard Cornwell

Boa noite, queridos leitores! Eu estou de volta!

Depois de um período de muito trabalho e leituras no mestrado de pesquisa em Estudos Literários na Universidade de Leiden, na Holanda, voltei ao Brasil! Como agora tenho mais tempo livre, poderei voltar a me dedicar ao blog! Outra novidade para os que ainda não souberam, tenho atualizado com frequência o meu canal no YouTube "O Prazer da Literatura". Convido a todos a conferir e se inscrever nesse canal, que administro com o maior carinho:


https://www.youtube.com/watch?v=HLyCJbUEeWQ

E agora... vamos à leitura de "O Último Reino", de Bernard Cornwell. Esse é o primeiro livro da saga "Crônicas Saxãs", que já estava na minha lista de leitura há muito tempo. Eu sou apaixonada por romances históricos e por livros que me levam a conhecer o passado de certos lugares, como a Inglaterra - país pelo qual fiquei encantada desde meu primeiro contato com a série "Harry Potter". Nas "Crônicas Saxãs", Cornwell nos leva de volta à Inglaterra Anglo-Saxã, no século IX, durante as invasões dinamarquesas e ataques Vikings.





A história é contada em primeira pessoa por Uhtred, filho de Uhtred, de Bebbamburg. Quando ele ainda era uma criança, a fortaleza de Bebbamburg, governada por seu pai e localizada na região da Nortúmbria, foi atacada por dinamarqueses ferozes, liderados por Ragnar. Seu pai é morto durante a batalha e Uhtred é tomado pelos dinamarqueses. Mesmo sendo uma criança, Uhtred avança contra Ragnar, que se diverte com a audácia do menino e decide levá-lo junto com os dinamarqueses, que estão tomando toda a Inglaterra,

Naquela época, a Inglaterra era dividida em sete reinos: Nortúmbria, Mércia, Ânglia Oriental, Essex, Kent, Sussex e Wessex. No período em que as "Crônicas Saxãs" se passam, século IX, seis reinos já haviam sucumbido ao poder dos dinamarqueses, com exceção de Wessex, o último reino - daí o título do primeiro volume da série.







Uhtred é levado pelos dinamarqueses e, então, tem uma juventude pagã. As crenças cristãs que ele havia aprendido em Bebbamburg entram em conflito com os novos ensinamentos pagãos que ele aprende com os dinamarqueses, principalmente com Ragnar - que o adota como se fosse um verdadeiro filho - e seu pai, o cego sábio Ravn. Porém, apesar de Uhtred se considerar um dinamarquês, seu coração ainda é inglês e pertence a Bebbamburg, que ele quer recuperar da posse ilegítima do seu tio.

Com a morte de Ragnar, não há nada mais que o prenda aos dinamarqueses, então ele, acompanhado de Brida - outra prisioneira inglesa que se adaptou aos costumes nortenhos - parte para Wessex para encontrar-se com o Rei Alfredo, auxiliá-lo contra as invasões de Ubba, um feroz dinamarquês, e retomar o que é seu por direito.


Rei Alfredo de Wessex

Eu achei a leitura desse primeiro volume muito prazerosa. Apesar de conter fatos históricos, a leitura é bem dinâmica, e como George Martin afirma na contracapa do livro, apresenta "as melhores cenas de batalha de qualquer escritor que eu já tenha lido, passado ou presente". As cenas de batalha são mesmo fantásticas, prendendo a atenção do leitor até o último parágrafo. Estou curiosíssima para ler a continuação da saga com "O Cavaleiro da Morte", o segundo volume.






Essa saga de Cornwell está sendo adaptada para a televisão em uma série da BBC. A primeira temporada estreou em 2015 e a segunda em 2017, com co-produção da Netflix. Quem interpreta Uhtred é o lindíssimo Alexander Dreymon. David Dawson interpreta o Rei Alfredo, Peter Gantzler é Ragnar, Rune Temte é Ubba, e Emily Cox interpreta Brida.




Assisti aos primeiros episódios da primeira temporada e devo dizer que fiquei um pouco desapontada. A produção deixou a desejar - não é nada aos padrões de "Vikings" ou "Game of Thrones". E, na minha opinião, há um uso excessivo de câmera subjetiva - quando a câmera acompanha o olhar de um personagem - e de câmera em movimento, o que me deixa um pouco tonta!
A ordem dos eventos no livro foram modificados. Muitos dos acontecimentos que ocorreram com Uhtred como criança foram transmitidos ao jovem Uhtred - já que, convenhamos, o jovem Uhtred é muito mais atrativo do que a criança! Isso não é necessariamente um ponto negativo.
O que me desapontou profundamente foi o papel de Ragnar na série. No livro, Ragnar (que, aliás, não é o mesmo Ragnar de "Vikings"!) é muito engraçado, tem paixão por batalhas e tem uma grande afeição pelo jovem Uhtred. Essa relação entre Uhtred e Ragnar, que é tão legal no livro, foi totalmente perdida na série, a meu ver.
De qualquer forma, vou continuar a assistir a série e espero que ela seja renovada para a terceira temporada!

Alexander Dreymon como Uhtred
Bernard Cornwell

Bernard Cornwell, o autor da saga, nasceu em Londres em 1944 e é um dos maiores escritores de romance histórico da atualidade. Além de escrever sobre a Inglaterra Anglo-Saxã, Cornwell também escreveu uma série de livros sobre o lendário Rei Artur, sobre a busca do Graal, sobre a batalha de Waterloo, entre outros temas.

Espero que tenham gostado dessa dica de livro. Tenho certeza de que irão gostar, principalmente os apaixonados por história antiga, como eu!

Um ótimo domingo a todos e ótimas leituras!

Fernanda

2 comentários:

  1. Adorei a indicação Fernanda! Obrigada
    Já comentei lá no vídeo do canal.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Dani!
      Já vi seu comentário lá!
      Beijão!

      Excluir