sexta-feira, 31 de julho de 2015

Literatura Gótica

Boa noite, leitores!

Nesta noite de sexta-feira, 31 de julho (último dia do mês e o inverso do número 13), resolvi escrever sobre um gênero literário que combina com estes elementos e que me fascina muito: a literatura gótica!

Quando falamos em literatura gótica, já nos vêm à mente noites tempestuosas, castelos no topo de uma alta montanha, ventos sibilantes que balançam os galhos secos das árvores, barulhos sobrenaturais... não é? E literatura gótica é isso mesmo (e muito mais!). Mas como esse gênero surgiu?


Lendo a introdução escrita por David Blair da antologia Gothic Short Stories, publicada pela Wordsworth Editions, separei algumas informações bem interessantes. O primeiro livro escrito considerado gótico foi O Castelo de Otranto, escrito por Horace Walpole em 1764. Nesta época, no século XVIII - o período do Iluminismo e do culto à Razão - o movimento gótico foi uma maneira de reconectar com as crenças sobrenaturais da Idade Média. No século XVIII, quem ainda acreditasse em superstições e magia era considerado de mente inferior.

Horace Walpole

Histórias míticas, sobrenaturais e até mesmo o folclore acabaram sendo marginalizados durante o Iluminismo. No entanto, a partir da década de 1770, essas histórias com pitadas sobrenaturais foram cativando o público leitor. Uma das características da literatura gótica é trazer situações e objetos inusitados sem oferecer explicação nenhuma. E, instigado pela curiosidade, o leitor continua página após página a última palavra.

Após Walpole, quem ganhou proeminência no gênero literário gótico foi Ann Radcliffe, autora de Os Mistérios de Udolpho (1794) e outros romances. Radcliffe cunhou o que hoje é considerado o clássico vocabulário gótico. Em suas histórias, também ambientadas em um passado distante, encontramos castelos, de preferência em ruínas e com passagens secretas, heroínas em perigo, abadias e monastérios. Elementos que perdurarão na literatura gótica.


Ann Radcliffe
 No final do século XVIII, também foram produzidos muitos contos góticos para saciar a grande demanda dos leitores por novos enredos. Esses livros ficaram conhecidos como blue books, ou livros azuis, devido à cor característica de suas capas. Tais contos, que não tinham a responsabilidade de compor enredos e personagens na escala de um romance, focavam nas sensações provocadas no leitor.

Essa antologia editada por David Blair, da Universidade de Kent no Reino Unido, traz diversos contos góticos de diversos períodos que nos transportam para este universo sombrio, louco, atraente e totalmente viciante desse gênero. Aos poucos, irei trazendo alguns de meus contos favoritos aqui no blog. Assim que possível, trarei também mais informações sobre esse fascinante gênero da literatura.


Espero que se encantem com esse universo tanto quanto eu. Uma boa sexta-feira a todos e, claro, ótimas leituras!

Fernanda

14 comentários:

  1. Definitivamente nosso gosto é bem diferente! hahahaha Não curto literatura gótica também. E essa coisa de apresentar e não explicar... socorro! Dá pra mim não. rsrsrs
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oiee, tudo bem?

    Bom, assim como a Giu, tô meio fora dessa literatura gótica. Apesar de que, esse ano eu li um infanto juvenil que se chamava "Garota Gotic", serve esse? huahuahauhau Mas realmente não é algo que eu tenha afinidade.

    beijo
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Se não me engano, esse estilo literário é bem parecido com a literatura noir (ou às vezes é a mesma coisa e eu que sou desinformado HAHAHA), um estilo que gosto muito. Até hoje só tive a oportunidade de ler um livro (de fantasia) nesse estilo e me apaixonei perdidamente pelo enredo e forma de escrita. Gostei muito das dicas dadas aqui, mas no momento estou sem tempo (R$) para ficar lendo todos o livros que quero T__T.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernanda, tudo bem?

    Eu fico fascinada com esse gênero, mas nunca li. Sempre leio alguma resenha ou indicação de livro, mas nunca cheguei a ler. Tenho curiosidade e gostei de seu post, pois conheci melhor desse gênero. E gostei da dicas dadas.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  5. Oi! Eu acho que nunca li um livro de literatura gótica :O e adorei o post com esses exemplos e tal; acho que pode ser uma boa forma de começar.
    "Instigado pela curiosidade" e esse é o problema de todos os leitores, mas quando tem um mistério envolvido a curiosidade fica muito pior HAUHAI acho que posso acabar gostando.
    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

    ResponderExcluir
  6. Oi Fe, sua linda, tudo bem
    Você já começou dando o clima perfeito, sexta-feira, quase 13, risos... Perfeito para o tema. Eu gosto muito do terror leve, adoro passagens secretas, casas mal assombradas, um mistério a ser desvendado..... E não sabia que isso pode ser considerado gótico também. Mas ainda tenho a impressão que o gótico tem um diferencial, e esse diferencial que ainda não consigui enxergar, não faz meu estilo, risos...Posso estar enganada, vou pesquisar mais sobre o assunto. Adorei a postagem.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ola lindona, eu gosto de literatura gótica mesmo não lendo com muita frequência, adorei saber como surgiu e quando começou. ótima postagem para se aprender. Castelos sempre me conquistam nas leituras. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Fernanda, obviamente já tinha me deparado com o termo, mas para ser sincera eu o classificava principalmente com romances históricos, não estou falando de Meg cabot e derivados, e sim de uma literatura mais séria que aborda o período medieval, suas crenças e tradições, contudo nunca tinha parado para pensar realmente no termo Literatura gótica e sua postagem me esclareceu muito sobre o assunto. Não conhecia os autores citados, mas irei em busca de mais informações. Excelente postagem!

    ResponderExcluir
  9. E eu crente que Drácula tinha sido um dos primeiros hahaah.
    Bacana saber um pouco mais sobre o gênero. Acho que nunca li nada propriamente gótico, mas curto livros com essa áurea mas sombria e não tem como negar que essa é sua raiz.

    Beiijos, Andressa
    Mais que Livros | Curtindo a Vida a Dois

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Eu tenho vontade de mergulhar mais em leituras góticas. Saber como é e tals. Vejo muita discriminação e queria entender o lado deles. Não tenho nenhuma afinidade. Acho que posso procurar saber mais começando com a sua lista! Parabéns pelo post.
    Beijos
    Academia Literária-DF

    ResponderExcluir
  11. Olá... tudo bem??
    Apesar de não ler muito eu adoro a literatura gótica... sempre gostei desde que me entendo por gente... mas na época eu era proibida... então quando comecei a cuidar de mim, pude comprar o que eu queria ler... não se você considera com uma leitura gótica.. mas a série Dezesseis Luas é uma leitura gótica muito boa... eu curti bastante ler e quero procurar mais coisas... não sou muito de ler contos, mas quero ler os que você postar por aqui... adorei a postagem e saber como tudo começou... Xero!!!

    ResponderExcluir
  12. Será que romance gótico é um sub-gênero? rs... Porque li dois livros que se classificavam assim e não tinham muito a ver com o que você expôs na postagem, não tinham nada de passado distante nem castelos, o que eles tinham em comum era o fato de ter cenas grotescas, meio bizarras mesmo. Não curti, mas acho que gostaria dos livros que você citou.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Fernanda, tudo bem? Gostei bastante do post e achei interessante conhecer um pouco mais sobre como surgiu a literatura gótica. Lembro de ter estudado um pouco no colégio e gostei muito dos poemas góticos e tudo o mais. Acho que ainda não li nenhum romance gótico, mas fiquei interessada.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  14. Oi Fer,

    Não li e não conheço nada de literatura gótica, ainda. Hahaha. Adorei o seu post, pois apresenta a uma pessoa totalmente leiga como eu a este gênero. Entretanto, não sei se leria visto que sou medrosa e terror/horror não é comigo de jeito nenhum.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleitura.com.br

    ResponderExcluir