quarta-feira, 15 de julho de 2015

"A Letra Escarlate", Nathaniel Hawthorne

Olá, queridos leitores!

Hoje trago para vocês um dos livros clássicos da literatura norte-americana, um livro que todo adolescente americano já leu no colégio (assim como nós lemos Machado de Assis aqui!), e que nos envolve com o retrato da sociedade puritana norte-americana do século XVII.

Eu falo de A Letra Escarlate, livro escrito por Nathaniel Hawthorne e publicado em 1850. A história escrita por Hawthorne se passa na cidade de Salem em meados de 1600, cidade recém colonizada por ingleses e que mantinha uma postura estritamente conservadora e puritana. Neste vilarejo mora Hester Prynne, uma mulher muito bonita, cujo marido inglês, que deveria se juntar a ela no Novo Mundo, estava desaparecido há muitos anos. Mesmo que seu marido já fosse considerado morto, a sociedade da época não permitia que Hester tivesse relacionamentos com outros homens por ainda ser considerada uma mulher casada. No entanto, Hester fica grávida e, como punição por seu adultério - considerado um crime gravíssimo na época -, ela é obrigada a bordar um A em todas as suas roupas, como símbolo de sua traição e pecado.

Demi Moore no papel de Hester Prynne
A população de Salem, então, se empenha para descobrir quem é o amante de Hester e a isola de todas as atividades da cidade, fazendo-a ir morar com a sua adorável filha Pearl em uma cabana perto da floresta, longe de tudo e de todos, onde não pudesse influenciar ninguém com a sua má conduta.

Mesmo sendo considerada a pessoa mais pecadora da cidade, Hester é uma mulher pura de coração e dedicou a sua vida de isolamento a cuidar dos mais necessitados, fazendo trabalhos de costura e vivendo modestamente. Já os outros cidadãos da cidade, considerados homens e mulheres cristão e puros, são políticos corruptos, comerciantes desonestos, entre outros; e são eles, e não Hester, que mereciam punição por suas condutas. Nathaniel Hawthorne é bem evidente aqui em sua crítica ao puritanismo exacerbado e hipócrita daquela sociedade, que contava com excessos de manifestações religiosas para camuflar suas verdadeiras índoles.

Pintura da personagem Hester Prynne feita por Hugues Merle em 1861

Esta obra de Nathaniel Hawthorne é o seu romance mais conhecido e um dos livros mais lidos no mundo todo. Ela também já foi adaptada diversas vezes para o cinema, televisão, teatro e ópera, sendo as versões cinematográficas mais famosas a de 1926, um filme mudo norte-americano com Lilian Gish no papel de Hester Prynne, e a de 1995, dirigida por Rolland Joffé e com os atores Demi Moore e Gary Oldman nos papéis principais.

Filme de 1926

Filme de 1995

 Há outros filmes que não são verdadeiramente adaptações do livro, mas fazem referência a ele, como é o caso de Easy A, filme de 2010 com Emma Stone, que, por acaso, assisti ontem e me diverti muito! Emma Stone faz o papel de Olive que, através de mentiras, acaba tendo uma má reputação no colégio. Olive está lendo A Letra Escarlate na sua turma de inglês e acaba sentindo na pele o que a personagem Hester Prynne tem que enfrentar no livro. É uma comédia muito divertida e que também traz informações sobre o livro, vale muito a pena assistir!

Filme de 2010

Nathaniel Hawthorne (1804-1864) foi um dos principais escritores norte-americanos do século XIX. É considerado por muitos o primeiro grande escritor dos Estados Unidos. Além de A Letra Escarlate, sua principal obra, Hawthorne também escreveu contos e romances góticos, como A Casa das Sete Torres (1851).

Espero que tenham gostado da dica e que adicionem A Letra Escarlate em sua lista de leitura!




Uma ótima quarta-feira a todos!

Fernanda

5 comentários:

  1. Olá,
    Easy A é um filme incrível, eu assisti e simplesmente adorei. Foi aí que fiquei com vontade de ler A Letra Escarlate de fato, mas ainda não tive oportunidade ='/.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Como acompanho vários blogs e canais americanos, já tinha ouvido falar muito bem desse livro, mesmo que muitos falem que na época não gostaram pois era a famosa "leitura obrigatória" do High school. A obra possui uma premissa interessante, mas confesso que não curti muito a capa. Eu tenho o DVD de Easy A aqui em casa, mas nunca peguei para ver, assim que colocar meus posts em dia e minhas séries, devo pegar para dar uma conferida.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernanda, tudo bem?

    Esse livro é um clássico, né? Eu não li, mas conheço muito sobre a história. Só não sabia que era leitura obrigatória lá nos EUA, mas gostei de saber. Eu já assistir Easy A, um filme muito divertido e adorei. Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  4. Olá... Fernanda, tudo bem??
    Sempre ouvi muito falarem desse livro, mas sinceramente falando nunca tive vontade de ler, até porque não curto esse clássico estrangeiro, mesmo que a história pareça ser bem boa. Acho super legal incluir esses livro nas escolas, eu li muitos clássicos na minha adolescência... e curti todos, mas hoje em dia não ando na mesma pegada kkkkk. Desde dessa época acho o cumulo esse julgamento cruel com a mulher, mesmo que alguns digam que era cultura... não concordo... sua resenha ficou boa... e eu assisti Easy e me diverti horrores kkkk

    ResponderExcluir
  5. I think your blog will easily to get the correct market, because its having the piece of content. so it can easily to attract the visitors.Please feel free visit our website @ Packers and Movers Ahmedabad

    ResponderExcluir