segunda-feira, 17 de setembro de 2018

"O Que Fazem Mulheres", Camilo Castelo Branco

Olá, queridos leitores!

Hoje escrevo para vocês sobre a minha leitura do clássico da literatura portuguesa O Que Fazem Mulheres (1858) do Camilo Castelo Branco (1825-1890).

Camilo Castelo Branco
Camilo Castelo Branco foi um dos grandes nomes da literatura portuguesa do século XIX. Ele escreveu muito durante a sua carreira literária, mais de cem obras, incluindo romances folhetinescos, novelas, histórias de mistério e crônicas para jornais, e foi um dos primeiros escritores portugueses a viver de literatura.

Camilo tinha uma vida boêmia, ficou órfão muito cedo e casou-se aos 16 anos com uma jovem de 15, mas a união não deu certo. Eles tiveram um filha, mas morreu muito cedo. Cinco anos depois, o escritor fugiu com Patrícia Emília, outra jovem, mas a união tampouco deu certo. Também tiveram uma filha, Bernardina, que viveu até a idade adulta. Somente em 1850 Camilo conheceu o amor de verdade, mas esse amor resultou em uma relação muito conturbada. Ele se apaixonou por Ana Plácido, uma mulher casada. Ela havia sido forçada a se casar com um comerciante brasileiro muito mais velho e vivia infeliz. Ana decidiu abandonar o marido e foi morar com Camilo em 1859. Os dois foram acusados de adultério e presos. Em 16 de outubro de 1861, o casal foi julgado e absolvido. Depois desse incidente, Camilo e Ana continuaram a viver juntos e tiveram dois filhos (além do primeiro filho de Ana, Manuel Plácido, reconhecido pelo seu primeiro marido, mas que muitos afirmavam ser filho de Camilo). Manuel, o primeiro marido de Ana, morreu em 1863, e em 1888 Camilo e Ana finalmente se casaram.

Ana Plácido
Ao final de sua vida, Camilo foi perdendo a visão, consequência da sífilis que havia adquirido, e desenvolvendo uma aguda depressão. Ao descobrir que ficaria cego por completo, se suicidou no dia 1 de junho de 1890. Ana Plácido morreu cinco anos mais tarde, e todos os seus três filhos, aliás problemáticos, morreram antes de 1900: Manuel morreu de febre aos 19 anos em 1877, Jorge foi declarado louco e hospitalizado, morreu em 1900, e Nuno, alcoólico e viciado em jogo, morreu em 1896.

A vida conturbada de Camilo é refletida em sua obra, que é caracterizada por tratar de temas como a orfandade e filhos ilegítimos, os direitos do coração contra as convenções da sociedade e um retrato dos costumes da sociedade portuguesa do século XIX.


O Que Fazem Mulheres, publicado em 1858, quando Camilo já se encontrava apaixonado por Ana Plácido e já se estabelecia como escritor, ainda que em sua fase inicial. A protagonista da trama é Ludovina, uma jovem de família simples. Sua mãe, Dona Angélica, havia sido forçada pelo pai a se casar com Melchior Pimenta, que tinha prospecção de herdar uma fortuna, que não aconteceu. Ludovina é apaixonada pelo charmoso Ricardo de Sá, jovem preguiçoso dado às letras e que cortejava diversas mulheres ao mesmo tempo apenas pelo prazer de seduzir. Como Ludovina era uma jovem bela mas humilde, Ricardo não pretendia se casar com ela. Quando a jovem soube disso através de uma artimanha de sua mãe, Ludovina decide se render aos planos de seu pai de casá-la com João José Dias, um homem mais velho que havia feito fortuna no Brasil. Grosseiro, gordo e disposto a zelar por sua honra a qualquer custo, João José Dias era o oposto da delicadeza de Ricardo de Sá. Porém, Ludovina aquiesce e se casa com a condição de que seus pais continuem morando com ela.


A história se desenrolar e um charuto, protagonista de um "capítulo avulso", levanta suspeitas de um adultério, tornando a vida de Ludovina um inferno. Não vou dizer de quem são as suspeitas, sobre quem elas recaem, nem se elas são verdadeiras ou não, é preciso que você leia O Que Fazem Mulheres e descubra por conta própria!

Alguma semelhança entre Ludovina e Ana Plácido? Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência?

A estrutura do romance de Camilo Castelo Branco é muito interessante e inovadora para a época. O narrador conversa diretamente com o leitor e apresenta um "capítulo avulso", que o leitor pode encaixar onde quiser, e um capítulo "que é melhor não ser lido", além de dois prólogos, um "a todos que lerem" e outro "a alguns dos que lerem". Aguçou a sua curiosidade? Imagine a curiosidade de um leitor do século XIX, que se deparava com algo assim, muito provavelmente, pela primeira vez!

Lisboa no século XIX

Já me estendi demais, mas apenas gostaria de reiterar a sugestão da leitura de O Que Fazem Mulheres, que trata de um tema convencional da literatura da época - o casamento forçado por conveniência - mas de uma maneira inovadora e divertida.

Espero que tenham gostado dessa dica literária. Uma ótima semana a todos e, é claro, ótimas leituras!

Fernanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário