domingo, 25 de fevereiro de 2018

"As Loucuras do Rei", Jean Plaidy

Olá, queridos leitores!


Hoje trago para vocês as minhas impressões lendo o oitavo volume da Saga Plantageneta, "As Loucuras do Rei", escrita pela fantástica Jean Plaidy. Sim, já acompanho as aventuras de uma das maiores dinastias de governo do reinado da Inglaterra há oito volumes e os volumes ficam cada vez melhores!

Neste livro, o forte rei Eduardo I dá seu último suspiro. Ele, que lutou pela causa escocesa, buscando unir a Inglaterra, Escócia e País de Gales sob uma única coroa. Seus esforços, contudo, foram colocados em xeque quando seu filho, o jovem Eduardo II, assume o poder.

A primeira coisa que o jovem Eduardo faz assim que assume o trono em 1307 é chamar o charmoso Piers Gaveston de volta ao reino, que havia sido banido por seu pai. De acordo com Eduardo I, o animado Gaveston era uma má influência para o príncipe, levando-o a passar o tempo com frivolidades. Os rumores é que Eduardo e Gaveston tinham um caso amoroso.

Eduardp II
De volta à Inglaterra, Gaveston se torna abertamente o favorito do rei e aproveita (e muito) do seu lugar no coração do monarca, aceitando presentes caros, jóias, sedas, e tendo parte em praticamente todas as decisões reais.  Logo, os nobres barões começam a perceber e desconfiar da crescente influência do jovem Gaveston. Para acalmar os ânimos dos barões - que haviam ganhado maior poder depois da assinatura da Magna Carta pelo Rei João, bisavô de Eduardo - Eduardo resolve se casar. A escolhida é ninguém menos do que Isabella, a bela filha do Rei da França, Filipe IV. A garota é enviada para a Inglaterra, mas mal sabia das verdadeiras predileções do seu marido.

Forçado pelos barões e por sua esposa, Eduardo decreta o banimento de Gaveston. O jovem passa certo tempo fora do país, mas logo volta para as graças do rei, que promete nunca mais deixá-lo. A Rainha Isabella, no entanto, não é mais a inocente garota vinda da França e, aos poucos, consegue o apoio dos barões para tramar a morte brutal de Gaveston.
Piers Gaveston

O rei passa por um período de intensa depressão e isola-se do resto da sociedade. Um jovem, porém, vê na morte de Gaveston uma oportunidade para se aproximar do rei. Aos poucos, Hugh Despenser se torna o novo favorito de Eduardo II, causando novo descontentamento entre os barões e a Rainha Isabella. A essa altura, a rainha já havia dado à luz alguns filhos, incluindo o primogênito Eduardo, que viria a se tornar Eduardo III mais tarde.

Cansada de ser deixada de lado pelo rei e das humilhações sofridas, a Rainha Isabella se junta a Roger Mortimer, um inimigo ferrenho de Eduardo II. Os dois iniciam um caso amoroso e planejam a deposição de Eduardo. Juntos, eles conseguem a execução de Hugh e, logo depois, forçam Eduardo II a abdicar do trono devido a ineficiência.

Isabella da França

O jovem Eduardo III é proclamado rei, enquanto seu pai é desprovido de seus títulos e se torna prisioneiro. A Rainha e Mortimer planejavam governar através do jovem Eduardo, então com 14 anos, e sabiam que tal façanha só seria possível se o monarca deposto fosse morto. Assim, o antigo rei é brutalmente assassinado enquanto dormia a mando da rainha e seu amante. Seu desaparecimento foi um mistério para a época.


Eduardo III, no entanto, não se mostra uma criança inocente, facilmente manipulada por sua mãe. Desde muito jovem ele apresenta uma personalidade forte, e é Eduardo III o protagonista do nono volume da saga, "O Juramento do Rei", que eu já estou louca para ler.


Se você perdeu as postagens anteriores referentes aos primeiros volumes da saga ou se você quer saber mais sobre a inglesa Jean Plaidy, clique aqui.

Jean Plaidy (1906-1993)

Essa é uma maravilhosa série de romances históricos para quem, como eu, quer saber mais sobre a história da Inglaterra e, ao mesmo tempo, adora uma aventura medieval.

Espero que vocês tenham gostado dessa dica de leitura.
Uma ótima semana a todos e, é claro, ótimas leituras!

Fernanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário