quinta-feira, 4 de agosto de 2016

"O Beijo de Chocolate", Laura Florand

Boa noite, queridos leitores!

Hoje trago para vocês as minhas impressões sobre O Beijo de Chocolate, livro escolhido por mim para o desafio literário de junho, que consistia em ler um romance.

Quem acompanha meu blog sabe que eu não sou muito fã de romances, principalmente os muito melosos. É por isso que participar de um desafio literário é interessante, pois ele te faz buscar leituras que normalmente você não buscaria. Eu havia comprado esse livro por causa de resenhas positivas que havia lido em alguns blogs e, principalmente, porque a história envolvia chocolate, magia e Paris.

Como escrevi no post sobre o desafio de junho (quem quiser relê-lo, pode acessá-lo aqui), a sinopse na contra-capa do livro me cativou. Um pequeno salão de chá na Île Saint-Louis em Paris chamada de La Maison de Sorcières, ou A Casa das Bruxas em português, administrado por Magalie, uma jovem metade francesa e metade norte-americana, e suas tias Aja e Geneviève. Achei o clima inicial um tanto quanto Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira, o que me encantou, pois eu era fã de Sabrina!

Em sua pequena loja no coração de Paris, Magalie encanta seus clientes com seu chocolate quente, que ela acredita ser mágico. Ao preparar cada chocolate quente, ela o faz especial dependendo do que ela acredita que cada cliente precisa: amor próprio, confiança, humildade, etc.


A harmonia da pequena La Maison de Sorcières é abalada com a chegada de Philippe Lyonnais, celebrado pâtissier francês que faz os melhores macarons de Paris, que abre uma de suas sofisticadas lojas a poucos metros do pequeno café das bruxas. Uma rivalidade surge entre os dois estabelecimentos, principalmente entre Magalie e Lyonnais, atraente e jovem. A rivalidade, no entanto, logo se transforma em paixão e os dois se envolvem loucamente.

Eu gostei bastante da primeira parte do livro, porém, quando Magalie e Lyonnais começam a se relacionar, a autora incluiu certas cenas picantes que, a meu ver, são desnecessárias. É quase como se o livro mudasse completamente de gênero de uma página para a outra: de romance romântico a erótico.

Além disso, Magalie parecia ser uma personagem forte no início do livro, determinada e independente. Porém, ao se apaixonar por Philippe, ela se submete a ele de maneira um tanto vergonhosa. Além de tudo, Philippe é extremamente arrogante e seguro de si mesmo. Sem contar que o final céu de brigadeiro é um taaaanto longe da realidade.

Achei a proposta inicial da autora tão promissora, mas acredito que Laura Florend não tenha trabalhado o enredo de forma satisfatória. Paris não passa de um plano de fundo para a história e somente alguns poucos lugares turísticos na cidade são mencionados como a Catedral Notre-Dame e a Pont des Arts. Por ser um cenário tão encantador, a autora poderia ter explorado mais a relação dos personagens com o ambiente em que estavam.

Outro fator que me causou certo descontentamento foi que a autora não explorou muito bem os personagens secundários. O foco é completamente em Magalie e Lyonnais, mas há outros personagens promissores que Florand negligencia, como as tias Aja e Geneviève, e os pais de Magalie (que são completamente esquecidos por boa parte do romance!).

De maneira geral, a leitura foi proveitosa. Como estudante de literatura, a gente passa a analisar nossas leituras mais profundamente, até mesmo as leituras de prazer, e certos deslizes acabam por nos incomodar mais do que a um leitor menos comprometido. Identifiquei muitas promessas em O Beijo de Chocolate, mas nem todas foram cumpridas, infelizmente. O enredo tinha muito potencial (magia, chocolate, paixão e Paris!), mas a concretização da autora deixou um pouco a desejar.


Laura Florand é norte-americana. Ela nasceu na Geórgia, mas atualmente mora em Paris com seu marido francês. Florand trabalha na Universidade de Duke, onde é palestrante. Ela ainda realiza pesquisas sobre o chocolate francês, que se reflete em suas obras. Além de O Beijo de Chocolate, Laura Florand publicou outros livros que incluem Paris e muito chocolate, como Melhor que Chocolate, que também já foi publicado em português pela editora Gente. Os outros romances parisienses de Florand ainda não chegaram ao Brasil.

Laura Florand e seus livros

O Beijo de Chocolate não foi tudo o que eu esperava, mas quem sabe Melhor que Chocolate não me cativa? Vou dar mais uma chance a Laura Florand e logo conto para vocês!


Uma ótima quinta-feira e ótimas leituras!

Fernanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário