terça-feira, 5 de março de 2019

"A Febre das Tulipas", Deborah Moggach

Boa noite, queridos leitores!

Hoje venho compartilhar com vocês o livro que devorei nessa terça-feira de carnaval, não consegui largar a leitura e terminei hoje mesmo! Trata-se de A Febre das Tulipas, ou Tulip Fever (1999) no original, da escritora inglesa Deborah Noggach (1948-). Eu já tenho esse livro há um certo tempo e, como iria viajar nesse feriado, resolvi escolher um livro leve (literalmente, ele é um paperback!) e instigante. Acabei tirando-o da estante e estou muito feliz de o ter feito.

O pano de fundo desse romance é a Amsterdam do século XVII, em plena Era de Ouro holandesa, quando as cidades e seus habitantes cresciam e prosperavam com transações mercantis que atravessavam oceanos, pinturas dos grandes mestres que fervilhavam o mercado de arte e, também, uma especulação financeira em torno de uma espécie de flor que havia chegado recentemente na Europa e que encantou os holandeses: a tulipa. Comerciantes passaram a comprar e vender bulbos de tulipa a preços exorbitantes durante a chamada Febre da Tulipa em meados de 1630, que é quando a nossa história se desenrola. Mal sabiam eles, quase quatrocentos anos atrás, que a tulipa seria até hoje o símbolo da cultura holandesa!



A Febre das Tulipas é contado através de várias perspectivas. Cada capítulo se inicia com o nome do personagem cujo ponto de vista o leitor acompanha. Todos eles são em terceira pessoa, com exceção de Sophia, a protagonista da trama, que nos conta sua história em primeira pessoa. De fato, é ela quem inicia o primeiro capítulo do romance. Nós descobrimos que Sophia é uma jovem esposa, casada muito nova com o mais velho e viúvo Cornelis Sandvoort. Sophia havia se tornado órfã e, para ajudar financeiramente as suas irmãs, consente se casar com o velho e rico mercador que, sem filhos, coloca todas as suas esperanças de um herdeiro em Sophia.


Certo dia, Cornelis convida à sua casa o jovem pintor Jan van Loos, que realmente existiu e foi um dos nomes da efervescência artística em Amsterdam no período, para pintar o retrato seu e de sua esposa para eternizar as suas existências em uma tela. Ao se olharem, Jan e Sophia se apaixonam perdidamente e acabam iniciando uma aventura amorosa.

Portrait of a Married Couple, de Pieter Codde (1634)
Enquanto isso, Maria, a criada de Sophia, é abandonada por seu amante Willem que havia prometido se casar com ela. Ao surpreendê-la tarde da noite, ele a vê escapar da casa dos seus patrões para se encontrar e beijar o pintor Jan. O que Willem não sabia é que a mulher era, na verdade, a Senhora Sophia, vestida com as roupas da empregada para não ser reconhecida nas ruas. Desolado, ele se alista na marinha e embarca em um navio para enfrentar os espanhóis sem dizer adeus à sua amada e sem saber que ela esperava um filho seu.

E é aí que a trama se desenrola e as vidas de Sophia e Maria vão se entrelaçar de uma maneira que elas nunca imaginaram, tudo por conta do amor.

Não vou contar para vocês qual é o desfecho dessa história, mas vocês já sabem que eu não consegui largar o livro o dia inteiro de curiosidade em saber como as vidas de todos os personagens iriam caminhar. Foi uma leitura muito prazerosa e dinâmica, que mistura romance e fatos históricos, o que me agrada muito! Além disso, a minha edição em inglês da Vintage Books traz ilustrações coloridas de algumas telas de pintores holandeses do século XVII, muito legal!

Poster do filme

E a cereja do bolo é que descobri hoje mesmo que esse livro foi adaptado para o cinema em 2017 com o título Amor e Tulipas em português! Apesar de ter recebido muitas críticas negativas, eu estou animada para assistir ao filme depois de minha experiência positiva com o livro. Dane DeHaan é o pintor Jan, Alicia Vikander é Sophia, Christoph Waltz é Cornelis e Holliday Grainger como Maria, além de Judi Dench, que também faz parte do elenco.


Aqui está o trailer do filme:



A autora de A Febre das Tulipas é Deborah Moggach, escritora e roteirista, que também escreveu O Exótico Hotel Marigold (2004), que virou filme em 2012 com grande elenco. Moggach tem atualmente 70 anos e continua produzindo!

Deborah Moggach

Espero que tenham gostado dessa deliciosa dica de leitura. Um ótimo finzinho de carnaval a todos e, é claro, ótimas leituras!

Fernanda

Um comentário: